Berçário

Proposta Pedagógica

 

 

  1. Atendimento eficiente e individual das necessidades básicas da criança.

    • Alimentação - cardápio balanceado e preparado diariamente;

    • Sono - quarto arejado e ensolarado;

    • Higiene - banho e higiene bucal;

    • Saúde - monitoramento e controle.

  2. Desenvolvimento emocional sadio

    • Ambiente carinhoso, aconchegante e com muito calor humano.

  3. Proposta pedagógica:

    • Projetos pedagógicos com atividades que estimulam o desenvolvimento nas áreas: perceptiva, linguagem, social e afetiva (através do brincar);

    • Aulas de música com professora especializada;

    • Observação e acompanhamento do desenvolvimento.

  4. Ambiente alegre e estimulante

    • Salas acolchoadas;

    • Brinquedos educativos;

    • Banho de sol e atividades ao ar livre;

    • Sala para amamentação;

    • Acesso irrestrito aos pais.

 

 

Adaptação

 

A entrada da criança na escola vai depender de cada família. O momento adequado para que ela inicie sua escolaridade pode variar, mas de uma maneira geral existem alguns aspectos que precisam ser citados, pois ajudarão os pais a compreender o que se passa na cabeça da criança nesta fase, facilitando o processo de adaptação.

A entrada da criança na escola costuma gerar sentimentos contraditórios por parte dos pais. Apesar de conscientes da escolha feita, e orgulhosos por mais uma etapa cumprida, podem sentir-se inseguros e culpados por pensarem estar "abandonando" o filho na escola. A cobrança de que a mãe deva estar por perto dos filhos todo o tempo é muito grande por parte da sociedade, e, por mais racional que tenha sido a escolha, haverá momentos em que a angústia irá dividi-la. Este sentimento pode ocorrer na fase de adaptação e em outras situações mais adiante. Com o passar do tempo, a confiança na escola vai se firmando e ficará mais fácil confiar o filho aos cuidados da instituição escolhida.

Da mesma forma, a criança também pode alternar a vontade de estar entre outras em um espaço lúdico e rico em materiais e novas descobertas e o medo do desconhecido, natural entre as pessoas. Ela vai observar, atentamente, as atitudes dos pais para ter alguma referência sobre como deve se comportar.

Toda a família deve se preparar para a fase de adaptação, que pode durar poucos dias ou se prolongar por mais algum tempo. Algumas dicas poderão servir nesta etapa:

  • A criança deve ser incentivada a ir à escola.

  • A família deve falar disto com animação;

  • Devem ser evitadas longas explicações que possam gerar insegurança ou desconfiança;

  • É fundamental levar a criança para conhecer a escola antecipadamente e deixá-la se ambientar durante algum tempo, à vontade;

  • É preciso tomar cuidado com as mensagens contraditórias (como por exemplo, oferecer recompensas pela ida à escola, tratá-lo como "coitadinho" por estar tendo que acordar cedo para sair ou outros motivos quaisquer, etc);

  • Os pais precisam conseguir um tempo flexível para ficar na escola durante o processo, de acordo com a orientação da coordenação pedagógica. Havendo revezamento entre os pais, ou se precisarem contar com a ajuda de outra pessoa, ela deve ser muito familiar à criança e  deverá estar a par das orientações da escola quanto ao período de adaptação;

  • Será preciso que compreendam que o choro na hora da separação é muito comum e que ele não significa necessariamente que a criança não queira ficar na escola. Ás vezes o choro também pode vir mais tarde, ou seja, depois da primeira semana de adaptação quando perceber que a escola vai realmente fazer parte do seu dia a dia;

  • Da mesma forma, a ausência de choro muitas vezes também não quer dizer que ela não esteja sentindo a separação;

  • Evitar comentários sobre as atitudes da criança na sua frente;

  • A criança deve ser levada caminhando e evitar o colo, desta forma ser entregue à professora. É sempre mais difícil sair do colo de alguém conhecido;

  • Mais adiante, será preciso incentivar a criança a ficar na escola, dizer sinceramente que estão indo embora e explicar quem virá buscá-la. Desta forma, ela vai conseguindo ganhar confiança de que voltará normalmente para casa;

  • É preciso que procurem ser carinhosos e firmes, sem demonstrar dúvidas sobre se ela vai ficar bem;

  • Os pais devem despedir-se naturalmente e nunca sair escondidos. A criança fica muito desconfiada e insegura com esta atitude.

  • É muito importante, ainda, que os pais se lembrem de que cada criança é única, e que, assim, cada período de adaptação será também único e individual. Evite fazer comparações entre a adaptação de coleguinhas ou irmãos;

  • Em casa, organizar a rotina de forma que a criança não se sinta apressada para sair para a escola, tirando-lhe parte de seu prazer;

  • Incentivá-la a organizar um espaço para guardar os pertences da escola, assim como uniformes e merendeiras;

  • Organizar um espaço de estudo tranqüilo e individual;

  • Combinar um horário de estudo com a criança (quando houver);

  • Dar atenção aos deveres de casa de um filho é muito importante. Desta forma, os pais saberão o que a criança está aprendendo e terão mais uma oportunidade de troca com ela;

  • Será muito importante ainda perguntar as novidades na volta da escola, ajudando a fixar os aprendizados e as novas descobertas;

  • No dia da fruta, incentivá-la a escolher entre algumas poucas opções.

  • c-facebook

© 2017 por ESCOLA PICCOLINO.